O que podemos aprender com o fenômeno Pokemon Go

Douglas Salvador

Como um empresário com grandes sonhos, o mundo po-de ser um lugar intimidante para as suas idéias. Shows como “Shark Tank” um programa da TV a cabo americana onde os participantes apresentam suas idéias de negócio a um grupo de jurados, pode parecer assustador e sem pudor ao rasgar as idéias dos participantes em pedaços em instantes. Mas só porque uma ideia pode parecer precoce numa primeira im-pressão não significa que ela não pode ser um sucesso ex-plosivo ou gerar valor a longo prazo.
O sucesso mais recente é disparado o jogo chamado de Pokémon Go,  esse é um belo exemplo do poder das ideias para qualquer iniciativa empresarial, que em um primeiro momento parecer ser uma idéia simples como mais um jogo para smartphones quando, na realidade, gerou não só mi-lhares de milhões de dólares para o caixa da empresa, mas também revitalizou a marca e trouxe uma legião de seguido-res obstinados e suas redes sociais alargadas.
O Fenômeno Pokémon Go é um jogo para smartphones criado pelas de empresas Niantic e The Pokémon Company, que gira em torno de pegar os monstros(pokemons) cami-nhando ao redor do mundo real. Além da possibilidade de encontrar de forma aleatória os Pokémons, muitos locais do mundo real foram transformados nos chamados pokestops ou ginásios (aproveitando a tecnologia GPS dos smartpho-nes). Nos Pokestops, o jogador pode obter itens de graça; em academias, os jogadores usam seus pokémons para tra-var batalhas contra outros jogadores, e quem ganha deixa seu Pokémon no ginásio para recolher mais itens.
Na visão empreendedora o jogo Pokémon Go represen-ta uma maximização extraordinária na base de usuários da marca e fidelização de clientes. O título tem engajamento massivo no Facebook e Twitter em quase todos os dias des-de o seu lançamento, devido à incrível base de fãs que o jo-go trouxe à vida. Tal qual como a notícias das chamadas mídia espontânea gerada pelo sucesso “Central Park: Multidão de Jogadores ‘Pokémon Go’ visitam New York City Park para tentar capturar Pokémon Raro” fez com que o jogo se tor-nasse um palco a céu aberto e não por causa de qualquer promoção que o jogo está fazendo de si mesmo, mas pela forma como todos os usuários estão a reagindo e interagin-do com ele.
Revistas financeiras, como Forbes oferecem inúme-ros artigos sobre o fenômeno. Um deles fala sobre como os pequenos empresários podem abraçar a nova condição de pokestops, ginásios e áreas de disponibilidade Pokémons como um ponto acessível a jogadores para vender os pro-dutos de sua loja ou empresa transformando o lugar em um ponto mais atraente e visível para os negócios.
Então, como pode um empresário aprender com a expe-riência de Pokémon Go para melhorar suas chances de su-cesso econômico? Segue análise:
Alavancagem: Se você tem ou está criando algum ti-po de produto como conectar ele com algo que as pessoas já conhecem? Pokémon é uma franquia popular que já está dentro dos corações de milhões de pessoas, mas isso não significa que você tem que pagar para Nintendo para isso; se você quiser fazer uma propaganda do seu produto ligan-do ao nome Pokémon, fazendo isso, vai atingir a massa de jogadores que estão ligados a tudo que envolve o título.
Alterar o paradigma - A mecânica de ter de andar fi-sicamente ao redor do mundo real para capturar Pokémon foi um divisor de águas. Fazer mudanças únicas ou criativas a partir de um conceito familiar  do ser humano pode fazer com que seu produto ou idéia se destaque dentre tantos ou-tros produtos ou modelos de negócio.


Dúvidas envie um e-mail para o endereço:
CONTATO@DOUGLASSALVADOR.COM.BR-www.facebook. com/douglassalvadoreduca







https://www.facebook.com/imprensa.povo/
Facebook jornal.png

Rua João Pessoa, 1969 - Sala 003 | Pinhalzinho | 049 3366-3910

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina