Em Foco

Jocimar Borba

Insustentável

Nesta semana nos deparamos com mais uma paralização dos caminhoneiros no Brasil, uma paralização que afeta a todos, mas principalmente aos próprios caminhoneiros que são os mais prejudicados no dia a dia, com o alto valor dos combustíveis principalmente e também pela defasagem do valor dos fretes que nos dias de hoje não pagam nem a manutenção dos veículos. Mas devemos mais do que respeito a esta classe que luta todo dia para transportar nossas riquezas pelo país. Neste sentido devemos abraçar suas causas e suas lutas, devemos ajuda-los no que for possível, fecharmos nossas empresas, nosso comércio e protestarmos juntos. Pois quando os caminhoneiro conseguirem serem atendidos em alguma reinvindicação, que seja somente a baixa do preço do diesel, toda a população será beneficiada.


60 pontos de bloqueio

Em Santa Catarina mais de 60 pontos de bloqueios foram registrados na quinta-feira (24) pelas BR´s e SC´s, isto demonstra a força da categoria em todo o país onde em 25 estados tem pontos de bloqueios, em conversa durante esta semana no Posto Três Palmeiras em Nova Erechim, conversei com muitos caminhoneiros e com todos salientei que a única classe que pode parar o Brasil são os próprios caminhoneiros, como já pararam em outras vezes.

Meia boca

A eliminação temporária da cobrança da Cide (conhecida como imposto do combustível) sobre o diesel não traz alívio para os caminhoneiros, há dias em greve nacional contra as sucessivas altas do preço do combustível. pois a redução para zero da alíquota da Cide sobre o diesel reduzirá em apenas R$ 0,05 o preço do combustível na bomba. O valor é considerado insuficiente para resolver os sérios problemas que eles enfrentam desde que os preços dos combustíveis passaram a ser ajustados pela Petrobrás de acordo com a variação da taxa de câmbio e da cotação do petróleo no mercado internacional (o preço do óleo passou de US$ 50 o barril em julho do ano passado para cerca de US$ 80). Por essa razão, os caminhoneiros decidiram manter a greve. Bem na verdade o que o governo Temer faz é querer rachar a conta dos desvios da Petrobras com a população brasileira.

Municípios paralisam parcialmente seus atendimentos

Os municípios da região de Pinhalzinho paralisaram seus atendimentos de rotina na agricultura e DMER, devido à falta de combustível. Ambas as prefeituras estão racionando suas reservas para priorizar os veículos da saúde e transporte escolar.








https://www.facebook.com/imprensa.povo/
Facebook jornal.png

Rua João Pessoa, 1969 - Sala 003 | Pinhalzinho | 049 3366-3910

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina