Produtividade

Produtores terão incentivos para plantio de milho em Santa Catarina

09 Maio 2016 14:43:44

Por Ivan Ramos

Por Ivan Ramos
Santa Catarina tem um deficit de mais de 03 milhões de toneladas de milho. Para atender a demanda do agronegócio catarinense e tornar atrativa a produção do grão no Estado foi elaborado o Programa de Incentivo ao Plantio de Milho em Santa Catarina. A iniciativa, em fase de conclusão, é da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, Fecoagro, Cooperativas e Agroindústrias.
Com o objetivo de levantar as demandas das cooperativas e estabelecer uma previsão do que o programa atingirá, a Fecoagro e a Secretaria de Agricultura, com apoio da Cooperativa Central Aurora Alimentos, promoveram reunião nessa semana, na Aurora Matriz, em Chapecó. Participaram do encontro os gerentes comerciais e presidentes de cooperativas catarinenses.
O programa entrará em operação no início de maio. Entre os objetivos da iniciativa estão: ampliar em 100 mil hectares a área plantada em Santa Catarina; garantir um preço remunerador ao plantador; oferecer os insumos necessários em um pacote tecnológico com prazo de safra; assegurar a compra do milho com margem ao agricultor, em volume mínimo para pagar os insumos e confirmar a venda do grão à agroindústria em preço compatível com os custos
PRODUTIVIDADE
de produção.
“Urgentemente, precisamos, ampliar a produção ou a produtividade do milho para reduzir a dependência de importação de outros Estados da Federação. Levantamento revela que o Governo do Estado de Santa Cantarina perde 8,4% do valor do milho comprado em outros Estados. Então, apenas com o cálculo de ampliação do programa que deve proporcionar ampliação de 840 mil/toneladas, a perda de ICMS seria de aproximadamente R$ 45 milhões”, explicou o diretor executivo da Fecoagro, Ivan Ramos.
Para o presidente da Fecoagro, João Carlos Di Domenico, o novo programa é espetacular por possibilitar o atendimento da demanda do agronegócio. “Esta iniciativa requer uma grande estrutura logística que viabilizará benefícios ao setor produtivo e segurança ao consumidor final. O que nos preocupa é a redução da área plantada de milho no Estado nos últimos anos, em 2010/11 eram 548 hectares e caiu para 367 na safra 2015/16”, argumentou.
O programa prevê uma produtividade mínima de 8.400 Kg/ha com preço de garantia pago ao produtor por saca. O custo de produção no momento estimado está em R$ 25,83 por saca para pagamento a prazo ou R$ 24,83 para pagamento em até 30 de maio de 2016, com seguro incluso. Pelo contrato o produtor terá obrigatoriedade de entregar a produção para a cooperativa, contudo permite a venda do excedente. “O que falta definir é o seguro da produção e o valor de subsídio pelo Governo do Estado por meio do ICMS”, explicou o diretor de cooperativismo e agronegócio da Secretaria da Agricultura, Athos de Almeida Lopes Filho.







SOSDesaparecidos.fw.png


https://www.facebook.com/imprensa.povo/
Facebook jornal.png

Rua João Pessoa, 2231 | Pinhalzinho | 049 3366-3910

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina