Ensino superior e empregabilidade

Horus Faculdade
Foto: Divulgação

Historicamente, a média de jovens desempregados no Brasil sempre foi mais alta. Apesar desse cenário, o ensino superior continua sendo um grande diferencial na empregabilidade nos primeiros anos de vida profissional. O Diretor da Horus Faculdades, Prof. Cesar Lunkes, destaca a importância da formação superior para que o aluno tenha melhores condições de galgar níveis melhores de remuneração e novas oportunidades.

Destaca, também, que a Horus oferece, desde sua constituição em 2003, um programa de apoio aos alunos e egressos que auxilia na obtenção de emprego através de parcerias com as empresas da região. "A graduação representa o primeiro contato com o mercado de trabalho e, neste momento, diz a pesquisa que é normal que o jovem se sinta inseguro e tenha dúvidas sobre como planejar sua carreira e se manter competitivo perante o mercado. Para isso, o SAE - Serviço de Atendimento ao Estudante está à disposição de nossos alunos", informa.

Além de auxiliar os alunos nas vagas de emprego disponíveis na região, o SAE também tem como atribuições o planejamento e execução de programas de apoio e prevenção de dificuldades emocionais e acadêmicas durante a formação do estudante de graduação. Sabe-se que em período de pandemia, houve um crescente aumento de casos de ansiedade e depressão, levando muitos alunos a um adoecimento mental.

A psicóloga e docente da Horus Faculdades, Keity Andrieli Santoro, destaca que é de suma importância o trabalho ofertado aos acadêmicos de acolhimento psicológico, visto que o momento da vida em que o estudante se encontra de formação de identidade, escolha de carreira, entre outros aspectos pessoais e familiares do indivíduo, podem gerar sintomas ansiosos e depressivos. A psicóloga ainda destaca que é na fase da adolescência que surge uma maior preocupação com questões de saúde mental, haja visto que alguns dos transtornos psiquiátricos têm seu surgimento nessa fase do desenvolvimento.

Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua - PNAD Contínua apontam que o desemprego entre pessoas com ensino superior completo é de 7,0%. Ou seja, estudantes e egressos do ensino superior contam com maior empregabilidade em relação às pessoas com ensino médio completo. Ter uma graduação não só reduz a chance de desemprego, mas também implica em uma remuneração maior. De acordo com a segunda edição da Pesquisa de Empregabilidade do Brasil, realizada pela Symplicity em parceria com o Semesp, 24,1% dos alunos egressos tiveram melhorias salariais após a graduação.

A mesma pesquisa ainda aponta que, para metade dos alunos, ter ingressado em um curso de ensino superior contribui para a manutenção do emprego durante os períodos de crise. Além disso, cerca de 90% dos estudantes acreditam que o diploma universitário aumenta as chances de conseguir uma melhor colocação no mercado de trabalho.

Porém, mesmo que o ensino superior seja um diferencial na empregabilidade, a crise ocasionada pela pandemia de Covid-19 também afetou esses profissionais. Diversos estudantes ou egressos perderam seus empregos ou tiveram o salário e a carga horária reduzidos. Com isso, diversas Instituições de Ensino já estão lidando com a alta nas taxas de abandono e mensalidades em atraso. Segundo um levantamento do Semesp, a taxa de evasão no ensino superior privado foi de 10,1% no primeiro semestre de 2020. Já a taxa de inadimplência no mesmo período foi de 11%.

"Em meio às incertezas quanto à retomada do crescimento econômico e do retorno das aulas presenciais, é importante que as instituições de ensino encontrem formas de auxiliar alunos e ex-alunos a enfrentarem as altas taxas de desemprego", finaliza Cesar.







https://www.facebook.com/imprensa.povo/
Facebook jornal.png

Rua João Pessoa, 1969 - Sala 003 | Pinhalzinho | 049 3366-3910

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina