Metade dos brasileiros concorda que mulher vá para cadeia por aborto, diz pesquisa

05 Dezembro 2017 08:19:00

Levantamento ouviu 1,6 mil pessoas em todo o Brasil

Diário Catarinense
Foto: Leo Munhoz / Diário Catarinense

A pesquisa divulgada nesta segunda-feira (4) sobre as percepções da população brasileira em relação ao aborto aponta que metade dos entrevistados concorda que uma mulher que interrompe a gravidez intencionalmente deveria ir para a cadeia. O levantamento, do Instituto Patrícia Galvão e Instituto Locomotiva, ouviu 1,6 mil pessoas acima dos 16 anos de idade em todas as regiões do Brasil. As informações são do portal UOL.

Outros 38% dos entrevistados discordam da prisão em caso de aborto, e 12% não se posicionaram. Do total, 45% afirmaram conhecer uma mulher que já tenha feito o procedimento de interrupção da gravidez. No entanto, 62% se declararam contra o aborto ser considerado uma decisão da mulher.

Hoje a legislação brasileira permite que a mulher interrompa a gestação em três casos: gravidez decorrente de estupro, risco de vida para a mãe ou feto anencéfalo. O levantamento aponta que 67% é favorável ao aborto no caso de estupro, 61% quando há risco de morte para a mãe. Por alguma doença grave ou incurável, 50% disseram ser favoráveis em caso de zika, por exemplo.

Em novembro, comissão da Câmara dos Deputados aprovou proposta que prevê que o princípio da inviolabilidade da vida passe a ser respeitado não a partir do nascimento, como é hoje, mas a partir da concepção. Tal alteração impossibilitaria a interrupção da gravidez mesmo nos casos previstos livres de punição. Nesta semana está prevista a votação dos destaques do projeto, dentre os quais um que suprime o trecho do aborto.


Enquete

Quanto você pretende gastar com presentes neste fim de ano?

Até R$ 100,00
Até R$ 200,00
R$ 300,00 ou mais

Apresentar resultado





SOSDesaparecidos.fw.png


https://www.facebook.com/imprensa.povo/
nova logo marca.png

Rua João Pessoa, 2231 | Pinhalzinho | 049 3366-3910

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina